Depois que um acidente acontece, dizem que a culpa não é deles

Avisamos, retrucamos, criticamos casos e descasos e elogiamos também quando há o que elogiar… como existe problemas nas vias de mobilidade urbana, ruas, calçadas, ciclovias, ciclofaixas, problemas de acessibilidade, este blog não cala. Sentiram minha falta pessoal da prefeitura?

Essa vai para a Secretaria de Trânsito…  já passou mais de um mês na reclamação da ciclovia, feita por este blog… assim diz a ST que o problema é da SU2…. beleza mas e ai, não arrumam não?

Foto-0049

Essa é a primeira Ciclovia de SBC Pery R. ao descaso

Essa pode ser caso da SU2, mas as ruas , são responsabilidade de quem?

Foto-0024

este buraquinho dá para se perceber pela relação entre tamanho do cone…

Neste buraco na Leonardo Martins Neto, pode fatalmente acontecer um acodente com, ciclistas, cadeirantes, idosos, e nestes poderão ser fatais… como no caso do menino que estava pedalando e se deparou com um buraco parecido com isso… a roda entrou no buraco, travou o sistema dianteiro e o garoto veio a falecer (9 anos)… a mesma coisa acontece com ciclovias que não dadas a MANUTENÇÃO PREVENTIVA, e se não há manutenção, uma hora terá que corrigir, mas quanto tempo demora para consertar um buraco na rua ou uma ladeira na ciclovia? Agenda?

Pelo meus calculos precisos, isso só vai ocorrer quando um cidadão se acidentar, como eu fui na ciclovia da João Firmino e não fui ressarcido em nenhum quesito… eles arrumam o local do acidente, e depois  o povo esquece, é assim que eles pensam… na ciclovia não houve fatalidades, mas não só eu como outros se acidentaram no local, e esta família de ciclistas nunca esquece. Descasos, falta de vontade, o diz que me diz, tem dia e hora para ser vinculado na internet… que os Deputados desta cidade de São Bernardo do Campo fiquem atentos, pois o nome deles estão na lista  a tempo, mesmo os da oposição!

Foto-0025

De quem é o problema? da Sabesp, da Prefeitura, do Governo? de quem é?

Publicado em Buracos nas Ruas, ciclovia, Esportes, faixa de pedestre, Ferrarezi, Instituto CicloBr, Luiz Marinho, MOBILIDADE, são bernardo do campo, Urban Velo SBC | Marcado com | Deixe um comentário

EBA ABC Escola Bike Anjo dia 2 de fevereiro

os 12 motivos para que vc tire a bike parada e deixe de usar  o carro, mantendo-o na garagem são essas que Willian Cruz nos mostra em teu site contendo também algumas orientações pra ciclistas urbanos:

http://vadebike.org/2006/06/por-que-ir-de-bicicleta/

Como todos sabem em São Bernardo do Campo está fazendo um piscinão , arrancou arvores para que a obra seria dada o início. De início este blog pensou que o nosso espaço teria que se mudar, mas observando o local, teremos sim o EBA ABC pois não compromete o evento…

Então pessoal, tire suas bikes de casa e venham curtir!

1511257_645905008789170_1286061332_nSem desculpas, vamos lá!!!! dia 2 de fevereiro!

DiaSemCarro-Desenho_B

 

Publicado em bike anjo, ciclovia, Eurico Marto Rodrigues, Ferrarezi, justin bikes, Luiz Marinho, MOBILIDADE | Deixe um comentário

Somos Heróis do Asfalto, somos ciclistas… somos O TRÂNSITO

Final de 2013, muitas realizações, aumentamos mais de 500% o numero de ciclistas, e menos de 10% o numero de cilo faixas, ciclovias entre outras rotas para ciclo.

Fomos impedidos de ir e vir, a CET o DET e ST não tem competência para arquitetar o futuro dos ciclistas, um planejamento a longo prazo, que não sei porque? Não é só planejar e fazer acontecer? Se a prefeitura não vê estes pontos, sinal que não sabe planejar… no entanto demos uma lição com nossas conscientizações, nas ruas, nos plenários, no bairro, na cidade, mostrando que sabemos o que estamos fazendo.

Mas, 2014 vem ai, terá que ser mais forte a conscientização, e eu terei que comprar uma bike para pedalar novamente!

Um texto eu adorei , estava em um dos grupos e fala simplesmente do descaso, gostei porque estava muito bom e eu como bike anjo, faço dele as minhas palavras…

Balsa

Ninguém pode com os ciclistas, em 2014 vamos descer várias vezes a Serra e a Ecovias tem como obrigação dar o espaço e segurança, a PM tem que dar segurança pública.

De Marcos Ziotti

Texto que escrevi hoje devido a transtorno de gente que não respeita o ciclista. Se puder, compartilhem. Precisamos nos unir para conquistarmos nosso espaço.

“ACOSTUMEM-SE SENHORES. SAIAM DA ZONA DE CONFORTO
Acho que vou começar a andar com alguns artigos do código nacional de trânsito, impressos, para entregar para esse gente, mal educada, que ainda não aprendeu a conviver com o ciclista. Talvez não seja nem falta de educação. Talvez seja pelo fato de que, nessa cidade, onde, na cabeça das pessoas, o que predomina é o sentimento de individualismo, as pessoas, no trânsito não se colocam no lugar dos outros. Isso é lamentável.
Hoje, novamente, por duas vezes, passei por situações de stress no trânsito, devido a intolerância de pessoas tacanhas, que ainda não aprenderam que lugar de bicicleta não é na calçada e nem no meio fio. Em seus excelentes carros e com ótima aparência, esses dois senhores, agiram como verdadeiros animais, expondo seu ódio, pelo simples fato de terem que desviar de mim, que estava trafegando na faixa da direita, com cuidado e atenção.
Talvez sejam pessoas que conseguiram alcançar uma excelente condição financeira, que lhes permitem possuir excelentes carros, possivelmente, diretores de empresas, e empresários. Pessoas de respeito com certeza, mas que não aprenderam as regras básicas de convivência.
Pessoas que vão para a Europa, e mandam seus filhos para a Europa, onde a bicicleta é um meio de transporta estabelecido, e todos respeitam. Essas pessoas, que viajam o mundo e não aprendem os melhores hábitos, pois parece que só vão para lá, para consumir e ostentar, mas que não aprendem e nem assimilam nada.
Ou, essas pessoas, até aprendam, mas não acham que nosso país e nossa gente, sejam dignos de educação de suas partes. Não. Parece que, para esses senhores, nosso País é terra de ninguém. Então nossa gente não merece o que esses senhores vivenciaram na Europa ou em qualquer país de primeiro mundo.
Então, aqui, vou observar alguns pontos, no sentido de prestar um serviço de utilidade pública, porque, quero acreditar que talvez essas pessoas, esses senhores, estejam fazendo algumas confusões.
Por exemplo: o fato de a prefeitura ter criado ciclo-faixas em horários específicos no final de semana, NÃO significa que os ciclistas só devam trafegar naqueles locais e horários. Significa simplesmente que a prefeitura está incentivando o uso da bicicleta no momento de lazer. Ou seja, a existência de ciclo-faixas, com horário determinados, é para incentivar o uso, fazer com que as pessoas, exercitem, naqueles horários, conviverem umas com as outras.
Outro fato é que existe uma grande quantidade de pessoas, milhares, que independente de ciclo-faixas e horários definidos pela prefeitura, já tinham adotado a bicicleta como hábito e meio de transporte. Portanto, não pensem, senhores, que o fato de existir ciclo-faixa no final de semana, a questão estará resolvida por um simples determinismo da prefeitura. Os senhores ainda terão que conviver com diversas bicicletas, todos os dias, pois milhares de pessoas, utilizam e adotam a bicicleta COMO MEIO DE TRANSPORTE, AMPLAMENTE INCENTIVADA PELO CÓDIGO NACIONAL DE TRÂNSITO, E POR VÁRIOS SETORES DA SOCIEDADE, já que o ciclista colabora com o trânsito, com a qualidade do ar, pois não gera poluição. O ciclista está em todo lugar, a todo momento. ACOSTUMEM-SE SENHORES. SAIAM DA ZONA DE CONFORTO.”

O tal sistema do CTB é válido ainda? Te pergunto: quantas pessoas vc conhece que tiraram carteiras de motoristas por MERECIMENTO?

mas o ciclista no Brasil é cuidado assim…

11-SerCiclistaNoBrasilCom tudo isso eu digo que somos os heróis da pista, o “Lobo do Asfalto” , mas só somente seremos heróis quando formos ouvidos, pois enquanto fazem planos esquecem de perguntar ao ciclista, o que vcs acham? pergunta básica que poderia vir uma negativa ou um positiva, poderia vir uma sugestão, quem sabe?

fot velo 5

O começo do Grupo Urban Velo BR, com Daniel batendo a foto!

Publicado em bicicletários, bike anjo, CERÓL, ciclovia, Consócio, Despreparo da GCM, Dia Sem Carro, Escola de bicicleteiro, Eurico Marto Rodrigues, Ferrarezi, Holanda, Instituto CicloBr, joão firmino, justin bikes, lesmas lerdas, Luiz Marinho, Massa Crítica, massa crítica abc, Massa Crítica Pacífica, MOBILIDADE, Pereira Barreto SBC, Rota Marcia Prado, são bernardo do campo, skate, Urban Velo SBC | Deixe um comentário

Quero só ver a Ecovias nos parar…

 

O Governo Estadual faz das nossas propriedades como a Estrada Velha de Santos, uma propriedade do Governo coisa que é do cidadão… Estrada Velha de Santos ou de Manutenção da Imigrantes tem encostamentos onde o ciclista não pode guiar(palcas indicam) Mais uma do Governo Estadual é não dar apoio ao cicloturismo em uma Rota de 100Km chamada Rota Márcia Prado… somos roubados na cara dura e em pontos que já avisamos as autoridades, mas eles nada fazem…

A Rota Márcia Prado não será organizada pelo Instituto CicloBR, mas com um gosto de Massa Crítica, We Are Traffic, estão vindo pessoas do Brasil inteiro… a Ecovias poderá nos barrar, esta é uma das faltas de consciência em mobilidade urbana que o Governo Estadual está agilizando, porém todos estão inscritos para descer a Serra do Mar legalmente e pela lei encostamento é permitido ciclos, pedestres… o que não é permitido é moto, automovel em pilotando ou dirigindo, como aquelas que roubaram o ciclista e não foram pegos. Se nem o Governo Estadual é capaz de proteger o ciclista, como querem que o municipio crie uma ação? A ação somos nós… alguns com medo, pois já foram roubados… me diga então, é isso que o Governo quer? mostrar para o público que eles são incapazes de planejar uma ótima e segura linha de acesso de SP à Santos? Ciclofaixa de domingo é essa… esse é o modelo ideal!

Quero ver a ecovias nos deter, também quero ver a polícia prendendo bandidos e não ciclistas.

Quero ver a ecovias nos deter, também quero ver a polícia prendendo bandidos e não ciclistas.

O sonho deve continuar

O sonho deve continuar  

Esta sendo feita uma pesquisa interessante, que é para todos( os que já pilotam a tempo, iniciantes, para os que nunca pedalou e para aqueles que rejeitam os ciclistas)

Fica o site com várias perguntas sobre a sua cidade em relação a mobilidade urbana, com enfase ao ciclismo.

www.ciclabilidade.ufscar.br

VAMOS DESCER A ROTA MÁRCIA PRADO e se contarmos com a ajuda e apoio das cidades envolvidas, ótimo, senão será mesmo uma Massa Crítica Pacífica e já vamos dizendo…. motoristas, por favor dirijam seu automóvel a 40Km/h, existem  pais de familha, filhos de pais, mães, e provavelmente em algum outro ano poderá estar seu neto, filho ou quem sabe até seu pai? Vá com calma para a Baixada Santista, o Estado não nos respeitou, ao passar pelo grupo buzinem como forma de aceitação, de solidariedade ao movimento cicloturístico.

Ao que me compete, é fazer um pedido a ST de SBC, embora não atendam o telefone, de dar apoio municipal em Segurança Publica, além dos limites da cidade!

Valeu…

Publicado em bicicletários, bike anjo, Bike Gost, ciclovia, Consócio, Despreparo da GCM, Dia Sem Carro, Escola de bicicleteiro, Esportes, Eurico Marto Rodrigues, Ferrarezi, Instituto CicloBr, justin bikes, Luiz Marinho, Massa Crítica, massa crítica abc, MOBILIDADE, são bernardo do campo, Urban Velo SBC | Deixe um comentário

Não é só porque o Instituto CicloBR não está organizando é que não haverá Rota Marcia Prado

A Ecovias é incopetente, alias  os marronzinhos, a CET, o DER, DET , e tudo que se relaciona a MOBILIDADE URBANA.

AQUI TEM UMA CICLOVIA

AQUI tem cicloturismo

Diz a Folha que foi cancelado o evento e não é bem isso, o Instituto CicloBR  que sempre foi responsável por organizar o evento, não irá organizar a descida da Rota Márcia Prado e está em negociações por mais ESTRUTURA DA PRÓPRIA SEGURANÇA PÚBLICA, coisa que não se tem… a meu ver, segurança pública deve acontecer 24h por dia e em pontos de roubos como já foram mostrados, deveriam ser bem vigiados por policiais militares , florestais, ambientais sei lá o nome que levam, mas proteger. Mas não basta um dia, queremos todos os 365 dias, queremos esses marginais na cadeia e isso não acontece, cada vez mais estão se armando e isso é formação de  quadrilha.

Diziam os mais velhos, “ melhor previnir do que remediar”A policia está para previnir remediar já é tarde…

Como o Instituto CicloBR disse, os roubos não são os motivos que nos levam a não organizar, mas  o descaso da Ecovias, principalmente, interrompendo um passeio cicloturístico e não dando segurança pública…

Pra que Ecovias? já provou ser incopetente, vc lembra do carinha que foi roubado na Imigrantes? Eram motos circulando em um trecho do encostamento(multa pelo CTB no mínimo) a Globo é outra incopetente, ela tem como rastrear placas, seguir os criminosos…. mas quem faz isso é só a Record. Embora a bicicleta tenha sido encontrada, fica ai um alerta para as emissoras… é roubo ou suspeita de roubo, vão atrás, tá esperando o que?

A Ecovias disse que nunca barrou os ciclistas, que apoia… este vídeo mostra, e o mais importante a Renata Falzoni estava nesta descida

Sobre os 90 mil, é o mais certo dzer 93 mil que o Estado cobrou para fazer a manutençao e disse,  o ano que vem não terão a Rota Marcia Prado, coisa que está se concretizando.

As pessoa que desceram a Rota Marcia Prado o ano passado no dia 9 de dezembro de 2012 foram mais de 8,5 mil ciclistas não foram 9 , nem 10 e nem 7 mil como o Jornal aponta… inscritos foram  mais de 10 mil, mas apenas 8645 ciclistas desceram…

Meus dados são verdadeiros, o PIG não me pertence.

Publicado em bicicletários, bike anjo, ciclovia, Consócio, Despreparo da GCM, Dia Sem Carro, Escola de bicicleteiro, Esportes, Eurico Marto Rodrigues, Ferrarezi, justin bikes, lesmas lerdas, Luiz Marinho, Massa Crítica, massa crítica abc, Massa Crítica Pacífica, MOBILIDADE, pl 4800/12, Rota Marcia Prado, são bernardo do campo, Urban Velo SBC | Deixe um comentário

Massa Crítica no dia da Rota Márcia Prado dia 8 de dezembro de 2013?

O Instituto CicloBR não irá organizar a Rota Marcia Prado 2013

Rota Márcia Prado é tema de negociação na Defensoria Pública. Estamos na luta !

A direção do Instituto CicloBR de Fomento à Mobilidade Sustentável decidiu não organizar a 5ª edição da Rota Márcia Prado em 2013. Depois de 4 anos organizando a rota cicloturística que liga São Paulo a Santos, passando pelas cidades de São Bernardo do Campo e Cubatão, acreditamos que o primeiro objetivo foi alcançado. Já podemos cobrar as autoridades e a Ecovias, concessionária que administra as Rodovias Anchieta e Imigrantes, pois já mostramos que o caminho é seguro para os ciclistas e que existe demanda. No ano de 2012, mais de 10.000 pessoas de todo o Brasil passaram pela Rota Márcia Prado, somente em um dia, quando o CicloBR organizou a descida com os voluntários.

Não iremos realizar a Rota, em 2013, pois estamos em negociação com a Ecovias, com intermédio da Defensoria Pública do Estado de São Paulo para alcançar a nossa principal missão: oficializar o trajeto com segurança e sinalizado com acesso durante todo o ano.

Já tivemos duas reuniões com a Ecovias. Graças a nossa direção jurídica que conseguiu agendar encontros, estamos evoluindo nas conversas. A Defensoria já impediu que a Ecovias cobre para ajudar na organização da descida oficial da RMP, algo que foi tentado pela concessionária, em 2012. Por isso, preferimos manter as negociações com os órgãos antes de organizar outra Rota Márcia Prado. continuar lendo

Massa Crítica em frente aos postos policiais de Santos, São Bernardo, Cubatão, São Vicente, Praia Grande, Parnapiacaba? Mas o que é Massa Crítica?

Massa Crítica (do inglês Critical Mass) ou Bicicletada (termo usado na maioria das cidades brasileiras e em Portugal e Moçambique) é um evento que ocorre tradicionalmente na última sexta-feira do mês em muitas cidades pelo mundo, onde ciclistas, skatistas, patinadores e outras pessoas com veículos movidos à propulsão humana, ocupam seu espaço nas ruas. Os principais objetivos são divulgar a bicicleta como um meio de transporte, criar condições favoráveis para o uso deste veículo e tornar mais ecológicos e sustentáveis os sistemas de transporte de pessoas, principalmente no meio urbano.

A Massa Crítica é simplesmente um grupo que se encontra mensalmente para aproveitar o prazer e segurança de andar pela cidade em grupo. A frase “não estamos atrapalhando o trânsito, nós somos o trânsito” expressa bem sua filosofia. Críticos têm alegado que o evento é uma tentativa deliberada de obstruir o tráfego e causar uma interrupção nas funções normais das cidades, afirmando que os indivíduos que participam da Massa Crítica se recusam a obedecer as leis de tráfego que se aplicam a ciclistas, em geral as mesmas que dos outros veículos. Esses participantes que desrespeitam as leis defendem suas ações baseados na crença de que, nas circunstâncias especiais que cercam o evento, obedecer as leis à risca seria mais perigoso e inconveniente para os usuários das ruas. Além disso, alguns participantes acreditam que as leis para os usuários de bicicletas nas ruas são injustas e diferentes das que tratam os pedestres e motoristas, e que as leis de trânsito favorecem fortemente o uso de veículos motorizados em muitas cidades. Desrespeitar as leis de trânsito no contexto da Massa Crítica é portanto um protesto contra essa injustiça.

Não existem líderes ou estatutos, o que leva a variações de postura e comportamento de acordo com os participantes de cada localidade ou evento. As Massas Críticas são passeios auto-organizados e independentes – geralmente apenas o local de encontro, o dia e o horário são definidos. Em algumas cidades, o trajeto, o ponto de chegada e as atividades ao longo do percurso são decididos somente quando o evento já esta ocorrendo. Claramente existe um caráter de protesto nesses eventos: os participantes demonstram, se reunindo em público, as vantagens de usar a bicicleta como meio de transporte nas cidades e também alertam para as mudanças necessárias no espaço urbano para melhor acomodar os ciclistas.

Muitas Massas Críticas têm se tornado cada vez mais criativas, como a Massa Crítica da cidade de São Paulo: já há alguns anos, é visível e crescente a tendência de utilizar bom humor e ações mais duradouras para conquistar os motoristas em vez de confrontá-los, mostrando que a bicicleta é um meio de transporte viável, rápido, saudável e prazeroso, além de passar a mensagem de que os ciclistas têm direito a seu espaço nas ruas. Essa nova postura tem mais receptividade com os motorizados e se torna mais interessante à mídia não especializada, resultando em uma exposição maior do movimento e principalmente da ideia da bicicleta como meio de transporte. Em setembro de 2006, a Bicicletada paulistana promoveu, junto com outros movimentos e entidades, várias atividades relacionadas ao Dia Mundial Sem Carros, como o Desafio Intermodal e a Vaga Viva. As iniciativas se repetiram no ano seguinte e continuaram acontecendo nos anos subsequentes.

O maior mote da Massa Crítica é “um carro a menos“, usado principalmente para tentar obter um maior respeito dos veículos motorizados que trafegam nas ruas saturadas das grandes cidades.

Propósito

O propósito da Massa Crítica não é bem compreendido por seus críticos, isso principalmente por sua origem e estrutura anarquista. A idéia é que o evento ocorra de acordo com os princípios da ação direta, criando um espaço público onde os automóveis são substituídos por meios de transporte movidos à propulsão humana. Um dos slogans define bem a intenção do movimento: We Are Traffic (Nós somos tráfego). A Massa Crítica é sem dúvida ligada ao movimento ambiental, o qual cita o automóvel de uso privado como uma catástrofe para o nosso meio ambiente, tanto em termos físicos como em termos sociais. Geralmente, o objetivo do evento, como indicado pelas ações de seus participantes, é se opor à dominação do automóvel no meio urbano, criando uma alternativa mais ecológica e sustentável. Não existe uma padronização, e os participantes possuem opiniões e metas diferentes, em alguns casos podem até discordar. Por exemplo, alguém pode participar não por razões ambientais, mas movido por teorias de justiça social. Muitos participam não em oposição a alguma coisa, mas simplesmente por gostar da oportunidade de se locomover na cidade de forma segura e com outras pessoas.

No caso em especial, é por nossa segurança, onde o Órgão de Segurança Pública, que seja estadual, municipal ou federal trabalhem como se deve, como o próprio, pela segurança pública… No caso a PM(Policia Militar) é o órgão competente e como é em São Paulo, toda o contingente deve ser chamado.

Indico este tópico do blog que chama a atenção http://saxmozartfaggi.wordpress.com/2013/09/01/privatizacao-e-seguranca/

Já aconteceram diversos furtos e roubos, um até pego na cara dura por um cinegrafista da emissora Rede Globo(recentemente)… ai já aconteceram dois episodios:

1° Motocicletas, ou qualquer motorizado, não devem em hipótese alguma ocupar o encostamento, salvo se estiver parado.

2° Eles já roubaram as duas motos, não deve ser a primeira bicicleta que eles roubam e o policionamento não é eficiente, e conhecem bikes.

Roubo

Estrada Velha de Santos será reaberta para visitas em dezembro, diz o Prefeito de São Bernardo do Campo Luiz Marinho, no entanto este blog observou que não diz nada sobre o ciclismo de certo, ele disse que iria pensar se iria abrir para ciclistas

 

A Estrada Velha de Santos(Nossa Rota Marcia Prado) não estaria sendo cobrada ano após ano se não fossem os ecoturisticos(muitos ciclistas ecológicos) e o cicloativistas que tem o turismo na veia e os próprios cicloturisticos.

Passear pela Estrada Velha de Santos ou Estrada da Manutenção da Imigrantes ou o nome dado pelos Ciclistas Rota Marcia Prado  requer atenção à segurança do local, começando de Santo André que vai para um caminho, pelas rotas de São Bernardo do Campo, via Anchieta ou Imigrantes e digo às autoridades, além da pista até Santos(Essa sim é a verdadeira ciclofaixa turística de domingo) deveria ter segurança pública de qualidade, se não do que vale um passeio a pé? todos serão roubados no meio do trajeto.

O blogue vem avisando  todo dia e companhias como a ecovias diz que não dará nenhum apoio aos ciclistas, podendo os mesmos serem barrados… se formos em pequenas quantidades sim, vamos ser barrados, mas se formos em grandes comboios, não há policia que nos pare.

O Instituto  CicloBR ressalta a importância que aconteça o evento, porém ela deixa clara que devemos ter certos cuidados, inclusive ao escolher o grupo

 

Uma das coisas que os ciclistas querem é sem dúvida a Segurança Pública, mas parece que os Policiais, seja qual tipo de formação for, tem medo… então os Policiais Militares de São Paulo, os que deveriam proteger, estão negando proteção ou por ordem do Governo do Estado ou por medo.

Na ultima RMP,  tiveram bicicletas roubadas, mas foram avisados que os locais não eram lá muito confiáveis , sabiamos que poderia haver roubos e furtos, mas a polícia não faz nada até agora.

 

Descrever a Rota Márcia Prado não tem como, é muita adrenalina e muitos amigos, e para quem foi na ultama vivenciou, como este blog, uma vontade louca para que se chegasse o outro ano e assim, descer.

Bikes anjos irão conosco, mas não se esqueçam de coisas primordiais que é ter uma câmara reserva, agua ou suco para hidratar o corpo(mesmo que esteja chovendo) Isotônicos, e barrinhas de alimentação… não levem muita bagagem. Levem uma graninha para subir a Serra e para comer algo na baixada santista(te digo o cheiro de frutos do mar é irresistivel)

 

ABANDONO

A estrada Velha ficou anos sem investimentos estaduais. O trajeto, seus monumentos e até a Calçada do Lorena ficaram esquecidos na mata até que as chuvas do fim de 2010 causaram desmoronamentos em trechos do trajeto, obrigando o Estado a realizar reparos em maio de 2012.

De acordo com escritor e historiador Paulo Rezzutti, os patrimônios que se encontram na estrada Velha foram projetados em 1922, pelo arquiteto Victor Dubugras.  Em 2011, uma expedição dirigida pelo arqueólogo Paulo Zanetini descobriu na mata, próximo à estrada, vestígios de um dos antigos pousos. “A estrada faz parte da história do nosso País e da nossa memória, por isso não podemos esquecê-la”, argumentou Marinho.
Os monumentos Pouso da Maioridade e Pouso de Paranapiacaba representam as viagens feitas pelos primeiros caixeiros que subiam com mercadorias e escravos, e desciam com produtos manufaturados e naturais como o pau-brasil. O percurso entre Santos e São Paulo podia levar semanas. Os pousos de tropas serviam de parada obrigatória para os andantes.

O que queremos? uma ciclofaixa turistica de domingo de verdade, ai sim os Grupos de Trabalho em mobilidde urbana sustentavel entre outros modais  tem Trabalho de verdade 

Podemos fazer uma Massa Crítica, sendo que existe um propósito e se o montante de bicicletas não conseguir depositar o pedido, pois o Instituto CicloBr tem sugestões, basta apenas os governantes ouvirem,mas não… enquanto Luiz Marinho de SBC diz que não sabe o porque a Estrada Velha de Santos está fechada desde 2010 , tempo suficiente para que estivesse totalmente completada em 2013.

1450345_620080844704920_307502183_n

Umj dos motivos que o Instituto CicloBR não irá organizar a Rota Marcia Prado 2013

Como é uma Massa Crítica faço um pedido aos Black Blocks, não compareçam

Observação aos Black Blocks

Estamos comessando uma manifestação, mas nesta manifestação Massa Crítica, não queremos Black Blocks, não há razão para destruição. Acho o cúmulo um pessoal ir contra o aumento dos ônibus e destruir ônibus, carros civis, bancos, prefeituras, queimar estradas, isso não dá razão nem a um lado e nem tampouco  ao outro.

NÓS CICLISTAS PEDALAMOS DE ROSTO LIMPO

 

Qualquer  mascarado como Black Block , e outros do gênero,  não será bem vindo ao evento… querem manifestar conosco? Não usem neste dia a Mascara!

 

Publicado em bicicletários, bike anjo, ciclovia, Consócio, Despreparo da GCM, Dia Sem Carro, Escola de bicicleteiro, Esportes, Estádios, Eurico Marto Rodrigues, Ferrarezi, Instituto CicloBr, joão firmino, justin bikes, lesmas lerdas, Luiz Marinho, Massa Crítica, massa crítica abc, Massa Crítica Pacífica, MOBILIDADE, passeio em praças, Rota Marcia Prado, são bernardo do campo, Urban Velo SBC | Deixe um comentário

São Paulo, Grande ABC(7 cidades) Baixada Santista em pról pela Rota Marcia Prado

Eu estou recebendo imagens que mostram o descaso com a Estrada de Manutenção da Imigrantes, mais conhecida por Estrada Velha de Santos e com um nome novo desde 2009, a Rota Marcia Prado…  tópico irá ser curto para alertar aos ÓRGÃOS COMPETENTES(secretarias e tal) para que tomem as devidas providências… eu quero descer a Rota Marcia Prado, com realização de no máximo do 2° domingo do mês de dezembro…

Lembrando que todas as cidades envolvidas lêem este blog o que faz da Grande São Paulo, mais o Grande ABC (7 cidades) mais a Baixada Santista, peço: Deixem nossa Rota Marcia Prado boa para o evento…

1176199_512636362146697_94550428_n

Publicado em bicicletários, bike anjo, Bike Gost, CERÓL, Chilena?, ciclovia, Consócio, Esportes, Estádios, Eurico Marto Rodrigues, Ferrarezi, Giovanni Breda, joão firmino, justin bikes, lesmas lerdas, Luiz Marinho, Massa Crítica, massa crítica abc, Massa Crítica Pacífica, MOBILIDADE, são bernardo do campo, Urban Velo SBC | Marcado com | Deixe um comentário