CicloBr agradece e responde algumas dúvidas.

Alguns dias já se passaram, depois da quarta edição da Rota Cicloturística Márcia Prado e muitas críticas e elogios foram passados para o Instituto CicloBR. Lemos tudo e estamos sempre abertos para sugestões e críticas construtivas. Agora podemos expôr a nossa opinião.
Primeiramente um muito obrigado a todos os 8.978 ciclistas que pedalaram até Santos

3812394_300

 no domingo dia 09/12/12. A demanda deste ano, serve para mostrar ao poder público que a rota é uma realidade e deve ser olhada com outros olhos para gerar infraestrutura para que as pessoas possam pedalar com segurança até o litoral sul de São Paulo. Vamos as fatos:
– A Rota Márcia Prado começa a ser trabalhada três meses antes, com voluntários do CicloBR. Enviamos ofícios para todos os órgãos responsáveis, inclusive Polícia Militar Rodoviária e as secretarias envolvidas nos 4 municípios. Ou seja, a Polícia foi avisada e quando eles afirmam ao contrário, estão mentindo.
– A ECOVIAS é totalmente contrária a realização da Rota e numa reunião com o setor de operações da empresa, eles queriam cobrar R$ 93.000,00 para fechar por alguns minutos a Imigrantes num horário pré-estabelecido, o que vai totalmente contrário ao conceito de cicloturismo e fere o direito de ir e vir.
– As balsas com certeza foram o o grande problema deste ano, mas o CicloBR não organiza o transporte público. Recebemos sugestões de pensar em caminhos alternativos para contornar a represa e vamos pensar sim.
– No ano passado, recebemos diversas sugestões de fazer uma pré-inscrição on-line e neste ano o pedido foi atendido. Muitas pessoas chegaram no parque sem a inscrição feita e reclamaram da demorar. Se tivessem feito a inscrição antes, teria facilitado o trabalho de todos e o CicloBR só faz isso pensando na segurança de vocês e no Parque Estadual Serra do Mar que pede que todos assinem o termo. Muitas pessoas chegam na Serra com freios fracos e nossos voluntários regulam pensando na segurança de vocês.
– O Instituto CicloBR lamenta das bicicletas que foram roubadas, mas isso é caso de segurança pública. Pessoas são roubadas todos os dias e mesmo com a presença reforçada da Polícia algumas pessoas foram lesadas.
– Também tivemos reclamação para entrar na ciclovia do rio pinheiros. Para quem não gostou, existiam outras opções. Vocês poderiam ter entrado pela Ponte Cidade Universitária, onde o acesso é feito por rampas e não por escadas ou ter pego o trem até a Estação Grajaú.
– A sinalização é feita por voluntários do CicloBR dois dias antes da Rota. As placas são pagas pelo fundo de reserva do CicloBR, mas infelizmente algumas pessoas furtam as placas antes da pedalada. Ou seja, não foi falta de sinalização e sim vandalismo. Por isso, colocamos todo o trajeto na internet, assim todos podem saber o caminho antes. O trecho de São Paulo já é lei, mas até hoje não saiu do papel.
– O CicloBR não é organizador de um “evento”. A Rota Márcia Prado, acontece anualmente, para mostrar ao poder público que é um caminho que deve ser oficializado. O CicloBR, tenta dar um mínimo de estrutura para que os ciclistas em pelo menos UM dia do ano consigam descer com segurança. Temos algumas parcerias que ajudam a dar mais estrutura, mas a luta maior é que o caminho inteiro seja sinalizado e ninguém seja barrado pela Polícia Rodoviária ou ECOVIAS, por estar apenas pedalando.
– E por último, o Insituto CicloBR, está repensando seriamente se deve fazer a rota nos próximos anos. Já mostramos que existe um caminho e que existe demanda. Agora, devemos trabalhar nos bastidores para legitimar esse caminho. E ao fazer um trabalho totalmente voluntário, sem cobrar nada por isso, e ainda receber xingamentos e reclamações, nós pensamos se vale a pena fazer isso tudo. Lógico que a maioria elogia e colabora com o serviço, mas muitos dos nossos voluntários foram destratados e eles são responsáveis de dar um mínimo de segurança. Por isso, nada garante a Rota Márcia Prado 2013 vai acontecer, mas temos a certeza que iremos continuar lutando e trabalhando nos bastidores para oficializar este caminhos nos três municípios que faltam: São Bernardo do Campo, Cubatão e Santos. E se você quiser ir sem filas nas balsas, na ciclovia, monte um grupo, veja o caminho no nosso site e peça autorização para pedalar no Parque Serra do Mar.Obrigado a todos os voluntários que mais uma vez ajudam a fazer a Rota Cicloturística Márcia Prado e todos aqueles que participaram.

Anúncios

Sobre saxmozartfaggi

Ciclista desde 1974, por gostar de ser ciclista, mas em minha cidade não era difícil percorrer 10 a 15km com montanhas que são predominantes, mas o único impecílio era a irresponsabilidade dos motoristas. Dá para se ir ao seu emprego de bike, basta apenas ter um pouquinho de tempo a mais e uma roupa para trocar. Muitos já trocaram o carro pela bike, por ser econômica, gasósa e academia, e por as vezes, serem melhores para estacionar e ir de um ponto a outro... isso é fato. Demoro 25min para chegar ao centro de SBC, mas depois que lá estou, qualquer caminho para mim é mais rápido do que um carro, menos perigoso que uma moto, isso é fato!
Esse post foi publicado em ciclovia, Eurico Marto Rodrigues, Instituto CicloBr, Massa Crítica, MOBILIDADE, Rota Marcia Prado, Urban Velo SBC. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s