Como foi o dia da Mobilidade na Praça Serra do Mar, na Rota Márcia Prado

A Rota Maria Prado de 2012, que foi dia 9 de dezembro estava  fantástico.Quase  9mil pessoas inscritas desceram a Rota, em uma estrada fascinante porém, requer cuidados especiais do ciclista.

pausinha para fotos

Dia de nevoeiro grosso, a estrada pedia cautela, afinal é a Serra do Mar, muitas arvores deixaram suas folhas no chão, muito limbo e perigos reais a frente.

A organização sem fins lucrativos www.ciclobr.com.br colocou mais de 20 companheiros para ajudar, e mesmo com a ajuda, tiveram engraçadinhos, tiveram pessoas querendo, porque não dizer, se matar e matar o companheiro!

3812394_300

vamo bora para Santos pessoal

vamo bora para Santos pessoal

Marcia Prado 2

É bom para deixar claro que este evento, que leva uma vez por ano, não era um evento de corrida ciclística, não estávamos querendo saber quem chegaria primeiro em Santos, este evento era apenas CICLOTURISTICO.

Eu mesmo caí três vezes… uma freada nas folhas secas, uma em Cubatão em um trilho, outra na ciclovia de Santos, freando em cima de um pedaço de alumínio. Mas digo que vários acidentes, alguns eu ouvi serem contados, os primeiros até antes de chegar na estrada, mas alguns eu vi e resolvi ajudar a parar as bikes… neste que eu chamo de descida sabão, os ciclistas vem em uma velocidade boa, não enxergam a dobra de 90°  por causa da neblina forte e freiam com a intuição que todo o ciclista tem, entretanto a descida é puro limbo e em um espaço de 50m ciclistas caem um atrás do outro.

Ficamos então lá acima pedindo para que os ciclistas freassem na boa, que conduzissem a sua bike com prudência , pois ali já havia pessoas caídas ao chão. O Samu foi acionado, e acho que depois que o samu deu as caras, os ciclistas ficaram mais prudentes.

Houve uma queda que machucou um ciclista, foi recolhido pelo samu, mas ele quis continuar a Rota Márcia Prado.

375534_10151310096734031_755721105_n

Coisa Rara, um Bicho Preguiça no meio da Rota Márcia Prado

Balsa

Para que nunca viu, um congestionamento de bicicletas

No meio dos caminhos , parávamos para tirar fotos… era a única forma de parar e tirar fotos, não havia outra forma.

Se eu for colocar todas as imagens que tenho em minha mente, realmente seria fantástico… subidas, descidas…. florestas, cachoeiras, túneis, flores frutos…. foram muitas imagens.

Tiveram as câmaras furadas, corrente quebradas, guidon , que depois de uma queda, já era e tantos outros acidentes mecânicos.

Neste item de tiveram,havia os ciclistas, talvez mais experiente que tinha uma boa pegada principalmente na subida, mas não tinham a paciência e gritavam “sai da frente”… falta de respeito com o ciclista iniciante ou até mesmo outros. obs, 90% estava a pé, pois a subida tinha uma forte inclinação mesmo.

Para se ter imagens , fotos e filmes da pedalada, tinha que estar equipado, com a maquina na cabeça(capacete) ou na frente da bicicleta, não poderíamos dar o luxo de parar, daí vem a expressão, “sai da frente que atrás vem gente”.

Eu em especial aprendi para que serve aquelas bermudas de ciclistas e a tal proteção de silicone nesta Rota.

Chegando lá em Cubatão, fomos agraciados com um pouco de banana e a empresa Porto Seguro está, penso eu, o sorteio de uma bicicleta dobrável… lindinha!…

Em Cubatão teve, penso eu, o maior índice de acidentes, que foi no trilho do bonde(escorregadio) . Falo do meu, pois eu sofri um lá também, vc vê a estrada liberada, de repente aparece um carro, se põe em sua frente… você desvia, pois ambos estão em baixíssima velocidade, mas o trilho é de ferro, tem uma pequena elevação e conforme vc sai de um tipo de solo, mais seguro, entra em derrapagem… Pelo que eu vi, 10 se acidentaram e pelo o que me disseram, 60 foram ao chão! Só naquele local.

Não é nem preciso dizer que a pressão atmosférica era das boas… muitos sentiram peso na pedalada, pensando que era a Rota Márcia Prado que teria feito isso, mas eu digo que é engano… tudo pesou na hora, mas pelo menos tínhamos um ar com salmora , que é ótimo e o barômetro que era quase 0.

Faltando pouco para chegar em Santos, um túnel foi nosso iahho, passando por dentro do túnel uma legião de ciclstas… e chegamos a muitas e muitas ciclovias, com direito a semáforo de bike!

Eu não conhecia a ciclovia, ela é longa mas tem certas viradas que obrigam o ciclista a diminuir a velocidade. Quem já a conhecia  foi pela rua, em alta velocidade.

Quem diria São Paulo veio a Santos… invadiu de bicicletas todas as praias da baixada santista. No começo, os ciclistas foram se encontrando de todos os lugares, São José do Rio Preto, Limeira, São Bernardo do Campo, Santo André, Balsa, Moema, Sorocaba, São José dos Campos, São Caetano do Sul, Puerto Rico, Belo Horizonte, Itu, Presidente Prudente, Presidente Bernardes etc etc etc e ficamos instalados em Santos.

481597_3561235568618_1375561984_n

Até as 19:00h ainda dava-se para ver pessoas chegando.

Ano que vem, esperando que tenha sol, teremos outra Rota Márcia Prado… mas se vier chuva, vamo embora que é bom também!

Sei que tem muita coisa que podemos mudar para melhor tem reclamações das pessoas que trabalhavam  sem ganhar um tostão… vc acha justo?

Antes vou dizer o que o instituto Ciclobr disse: – A ECOVIAS é totalmente contrária a realização da Rota e numa reunião com o setor de operações da empresa, eles queriam cobrar R$ 93.000,00 para fechar por alguns minutos a Imigrantes num horário pré-estabelecido, o que vai totalmente contrário ao conceito de cicloturismo e fere o direito de ir e vir.

Não sabendo se iremos ter Rota Marcia Prado 2013, continuaremos lutando muito… Mandem suas sugestões

Anúncios

Sobre saxmozartfaggi

Ciclista desde 1974, por gostar de ser ciclista, mas em minha cidade não era difícil percorrer 10 a 15km com montanhas que são predominantes, mas o único impecílio era a irresponsabilidade dos motoristas. Dá para se ir ao seu emprego de bike, basta apenas ter um pouquinho de tempo a mais e uma roupa para trocar. Muitos já trocaram o carro pela bike, por ser econômica, gasósa e academia, e por as vezes, serem melhores para estacionar e ir de um ponto a outro... isso é fato. Demoro 25min para chegar ao centro de SBC, mas depois que lá estou, qualquer caminho para mim é mais rápido do que um carro, menos perigoso que uma moto, isso é fato!
Esse post foi publicado em ciclovia, Esportes, Eurico Marto Rodrigues, Massa Crítica, MOBILIDADE, Rota Marcia Prado, são bernardo do campo, Urban Velo SBC. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Como foi o dia da Mobilidade na Praça Serra do Mar, na Rota Márcia Prado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s